segunda-feira, 27 de agosto de 2012

A Cena

Aí, você resolve ir no banheiro no meio do Happy. 
Você vai até o banheiro, aqueles de divisórias, sabe? Que dependendo da distância cubículo/pia, você consegue ver o calçado da indivídua que está pilotando o vaso. hehehe

Ok. 

Aí, você empurra a porta do banheiro. A porta tem aqueles trecos para que não fique aberta, e, esse treco, faz a porta ranger. Mas, não é qualquer rangido não, são rangidos daqueles, dignos de filme de suspense. 

Ok. 

Aí, você entra no banheiro, com a "tia" da limpeza, de rodinho na mão, atrás de você.

Tem um cubículo vazio.
E, a porta, de quando em quando, rangendo alucinadamente.
Então, toca um celular. E o toque é a música tema de "Psicose".

Aí, você avalia a cena. (Orgulho de ainda ter discernimento:)
Você num cubículo, a porta rangendo, "Psicose" tocando. 
Você olha para baixo e o rodinho, que está sendo passado no chão do cubículo ao lado, invade em parte o seu e passa ao.seu.lado.

"Se tivesse tomado só água, não dava tempo de acontecer/perceber tanta coisa."

sábado, 25 de agosto de 2012

Eu só quis dizer... II

Das alegrias de se ter um aparelho ortodôntico no céu da boca:

- Falo igual um pato ou com um ovo na garganta... como queiram ¬¬, ou seja, sou a nova GISELE MADONINHAAAAAAA! Ahazei!

- Consigo comer no máximo metade da comida que coloco no prato, e, como devagar, com as 39743975 mastigações que os médicos recomendam. Phyna!

- Tenho que mandar fazer furos extras nos meus cintos, ou, comprar... MENORES! Sambei geral na cara do high society!!!! 


PS: Não sabe quem é Gisele Madoninha? Affffe
Apresento-lhes:
Gizele - "Em busca da Vitória"

Meu sonho um CD dela autografado.


sábado, 18 de agosto de 2012

Cenas de Rodoviária - II

(Cena):
Ainda no mesmo dia, na mesma rodoviária. Estava sentada na lanchonete. Olhando para fora. Esperando chegar o #vaigordinha versão fritura (saudades do tempo em que eu podia comer =~, não é mexicanismo dessa vez, apenas a pura e dolorida verdade, emfim). Vejo um rapaz, da minha altura, boné, estilo esportivo... calças like Mel C. Um vaso de flores na mão. Flores estranhas. Acho que nunca vi. Brancas com uns detalhes rosados. (Até dei uma ~googlada~, mas, não rolou.)
Ele passou para lá. Depois, para cá. Voltou e parou a poucos metros de onde eu estava. 
Abriu um sorriso gigante. Fechou. Ficou em dúvida: Sorria ou não? 
A dois metros dele, um outro rapaz. Um pouco mais alto, jeito esportivo também. Mochila. 
Um parado em frente ao outro.
O segundo rapaz levou a mão a boca. Esconderia um sorriso? Não sei.
O primeiro tentou estender o vaso. Retirou. Não sabia se estendia ou não. Tentou outra vez.
O segundo tentou estender as mãos para pegar o vaso. Retirou. Não sabia se pegava ou não.
Parecia que não acreditavam no momento.
O primeiro estendeu o vaso novamente. Desta vez, o segundo pegou.
Agora, sorriam.
Abraçaram-se. 
O sorriso voltou-lhes. Aquele sorriso que é propriedade somente dos apaixonados. Dos apaixonados na presença do ser amado. Sabe qual é? Sorte sua! Sorte minha! Sorte deles!

Achei a cena tão delicada e bonita. 
Suspirei. 
Meu lanche chegou.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Cenas de Rodoviária - I

(Cena:) 
Aí, estou lá na rodô de Floripa, naquelas cadeiras laranjas, porque a ~sala vip~ da companhia de ônibus está lotada. 
Senta ao meu lado uma moça, morena, alta, magra, look like importante executiva, óculos.
Ela tira um livro da bolsa. E mergulha na leitura.
Cinco minutos depois, um homem para a sua frente:
- Moça. Moça.
Nada.
- Moça!
Ela calmamente levanta a cabeça:
- Sim?
- Você pode me dar 3 reais? É que a passagem custa 85 e eu tenho só 82...
- Posso.
Silêncio.
- Se você me mostrar os 82 reais.
O moço sumiu. Não o vi mais até embarcar rumo a Crici city.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Prioridades

Oi, pípol? Tudo bem?
Então... Comecei a odisséia de colocar aparelho ortodôntico. Oh, via crucis!!
Uma semana, coloquei parte dos braquetes e, de brinde, ganhei a deliciosa sensação de passar all day achando que os dentes vão cair. Dor? Não, gracias! Mas, sabe aqueles dias que você acorda e os dentes estão meio molengas? Pois é, péssimo da Silva.
Aí, quando já tinha me acostumado fisicamente, ou seja, aparentemente os dentes voltaram ao normal, voltei ao consultório para botar os (mwahahaha - imagino o dentista dando esse tipo de risada quando percebe que o paciente tem que usar aparelho. Sorry! Não é maldade, é imaginação fértil.) ~separadores~! Uma das formas em que o elástico assume a postura de ~borrachinhas da maldade~! Afffff! Dor? Not again! Mas, e a coceira que esse trem provoca? Nível dente nascendo! E eu que não masco chiclete há anos, tenho a sensação de que estou, permanentemente, com um entre os dentes. Ó, céus!
Fora o medo de uma delas arrebentar e ter que colocar de novo. E a aflição de que esse negócio não faça efeito dentro do prazo previsto e eu tenha que ficar com isso ad eternum... 
Como se não estivesse um tanto desconfortável, uma das quatro borrachinhas azuis e lindas resolveu incomodar de verdade: a coceira ficou tipo dolorida e rola todo um malabarismo para mastigar.
Resultado: emagrecer ! = conclusão lógica! *.*
Porém, ao invés de montar meu prato quase balanceado de todo santo dia de buffet, passei a ingerir minhas 300/400g diárias em forma de pasta! Fuuuuuuu, but, Mamma Itália fica feliz!
Além de todos esses pequenos estresses que me deixaram bem ~jururu~ a semana toda, ainda tinha que arrumar a mala... E novidade: ok, não estava tudo arrumado, mas, eu já tinha o planejamento perfeito!!! Até que liguei para minha Mommy só para averiguar quantos quilos de roupa eu devia levar e.... Meus planos lindos, chiques e invernais desceram pelo ralo. Fuén, fuén, fuén... "Faz calor em Criciúmã!" E agora, José? Ignoro os avisos e mesmo assim levo roupas quentinhas? Xingo até a morte e corro para ver o que tem de digno e ~fresquinho~ no wardrobe? Aguardem cenas do próximos capítulos!!

Agora, pasmem, que o meu verdadeiro dilema interno é esse:
Sábado super vai rolar um dogão. Dogão das meninas!! weeeeee E eu, uma #vaigordinha convicta, que não estou 100% no quesito mastigar, venho me torturando quanto a seguinte questão:

Será que rola pedir talheres no Dogão ou vou ter que fazer um doguinho miradinho?

Prioridades, galere, prioridades...