quinta-feira, 26 de julho de 2012

Vou Pintar um Arco-Íris de Energia...

Ontem foi dia 25 de Julho:
- Dia de São Cristóvão (sorte minha ~ter caído~ a tradição de usar o nome do "santo do dia" e adaptações para o new baby);
- Dia do Colono (Irra! Tomar um vinho para comemorar!)
- Dia do Motorista (né?)
- Dia do Escritor (Dream a little dream of me *.*)

e, entre outras coisinhas básicas que aconteceram e se comemoraram neste dia, esse também foi o Dia Internacional/Mundial e why not? Intergalático desta que vos fala. =P

Agradeço a todos que lembraram de mim (weeeee!), mas, essa não é a intenção do post.
A real intenção é mostrar uma foto que minha prima Lu desenterrou! Literalmente de 1990, quando eu tinha 7 aninhos! Olha que fuefas!


Os looks se justificam devido a "Festa da Família" que rolava/rola (oi?) no colégio. Nessa festa, os alunos apresentavam dancinhas - para os pais, avós, tios, vizinhos... enfim -  com coreos terríveis ensaiadas ~exaustivamente~ nas aulas de Educação Física. Vai, gente, era divertido!
Acho que a turma da minha prima apresentou alguma música da Angélica. Se eu não me engano tinha uma boneca com o vestido assim...
Agora, eu, né, gente... Abapha! Ahazani no pemanente natural, super fashion nos recém acabados anos 80! Nessa época, achava a musa Rosana o máximo e fazia de "Como uma Deusa" meu número para apresentar no churras de domingo! 
E, esse luxo de roupa da Paquita? kkkkkk Tarra lyndra! Não tenho ideia do que eu dancei, mas, lembro que tinha uma Xuxa que infelizmente não era verde e as outras meninas, as loiras, eram paquitas de roupas brancas e turquesa! Puro glamour!
Amei o ~desenterro~ desta foto!

Encerro com uma das pérolas de ontem:

"Um viva aos inteligentes, bonitos e chuchu!" 

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Oh, Janis!

Estava pensando no quê eu poderia escrever sobre o Dia Mundial do Rock, celebrado depois do Live Aid, que aconteceu em 13 de julho de 1985. Pensava no que poderia focar... na data, no Live Aid, em algum show, até que... 


"Oh, come on, come on, come on, come on!"

Bradou o ipod...
And... Why not? So, let's talk about her *.*

A voz inconfundível e explosiva, uma das mais distintas da história. É quase impossível ouvi-la e não reconhecê-la. 
Ela viveu cada sílaba que cantou, e afirmou-se sem medo em ritmos como blues, folk e rock com autoridade e entusiasmo.
Suas performances deixavam seu público sem palavras, seu magnetismo sexual, seu estilo e, claro, sua voz, sua característica mais marcante, quebraram o estereótipo que se tinha de como deveria ser um artista do sexo feminino, tornando-a um dos ícones do rock psicodélico e dos anos 60.
Janis Lyn Joplin nasceu em 19 de janeiro de 1943, em Port Arthur, Texas. Já na adolescência foi influenciada pelas vozes de grandes cantores do blues, como as de Big Mama Thornton, Leadbelly e Bessie Smith e começou a cantar no coral da igreja local. Fez uma rápida passagem pela faculdade, mas, foi atraída por lendas do blues e poesias, que sempre venceram os seus estudos. 
Mudou-se para San Francisco em 63, e, lá, encontrou o guitarrista Jorma Kaukonen. Desse encontro resultaram as clássicas "Trouble in Mind" e "Nobody Knows You When You're Down and Out" com as batidas de máquina de escrever da esposa de Jorma, Margareta.
Logo, voltou para o Texas, para fugir dos excessos (reza a lenda que sua bebida preferida era "Southern Comfort"). Mas, a Califórnia a chamou de volta! Em 66, San Francisco, adota o estilo alfaiataria selvagem: óculos de vovó, cabelos crespos, roupas extravagantes, o estilo hippie!  As suas influências musicais fizeram com que Janis se tornasse parte do grupo "Big Brother and The Holding Company".  A banda assina com um selo, e, em 1967, grava seu primeiro álbum.
Em 1968, lança "Cheap Thrills", um dos melhores!, que alcança o primeiro lugar na Billboard durante oito semanas não consecutivas, com "Piece of My Heart" ("Oh, come on, come on, come on, come on!"). Resultado: Janis vira a sensação do momento, com direto a elogios da Time E Vogue!
E, então, acontece: a inevitável saída do Big Brother para o estrelato solo. Reuniu um grupo próprio, a "Kozmic Blues Band", e, em 69, temos "I Got Dem Ol' Kozmic Blues Again Mama!", loucura pura!!! E, no mesmo ano: Woodstock!
A sua última canção gravada foi "Mercedes Benz", juntamente com "Happy Trails", um presente para John Lennon, que fazia aniversário em 9 de outubro. Em uma entrevista, Lennon contou que a fita chegou a sua casa após a sua morte.

Ela morreu em 4 de outubro de 1970, vítima de uma overdose de heroína e apenas 16 dias após a perda de Jimi Hendrix, com 27 anos. Entrando, assim como Hendrix, para o famoso ~Clube dos 27~. O corpo de Janis Joplin foi cremado  e suas cinzas espalhadas pelo Oceano Pacífico.
Pearl foi lançado postumamente no ano seguinte. 
O LP tornou-se o lançamento mais vendido da carreira de Janis Joplin e, em 2003, foi classificada como #122 na revista Rolling Stone dos "500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos".
Nos anos que se seguiram, as gravações de Janis Joplin e performances filmadas consolidaram o seu status como ícone e a sua curta, mas, bombástica carreira. Ela é uma referência no rock.



segunda-feira, 9 de julho de 2012

Cerises!

Felicidades do feriadão:

- Terminei de ler "O Retrato de Dorian Gray". PS: Devorei algumas partes, mas, no geral, não morri de amores;
- Whopper! #vaigordinha. Porém, com arrependimento de sempre de não trazer um extra para casa;
- Descobrir que tenho um amigo, que apesar de já ter ido para Paris duas vezes, sambando na minha cara, adoraria ir comigo, porque lá, ele lembra de mim all time! (sim, fiquei lisonjeadíssima - e, tentando loucamente, tirar dinheiro de pedra para realizar isso!);
- E, descobrir que dia 26 tem show do Fito Paez em Sampa! =) Quero irrrrrrr;
- Cerejas! As mini maçãs mais lindas e deliciosas do mundo! Graças a sobrinha da colega de trabalho que ama as frutinhas! Fizemos a correria na feira e conseguimos comprar a R$30 o quilo! Pasmem! Começamos com 80 na primeira barraca!


segunda-feira, 2 de julho de 2012

Cheers àqueles que ainda acreditam!

Aí, eu, finalmente, desço do busão, com humor ~mazomeno~, para começar mais um dia de trabalho.
Encontro no elevador, uma "menina", que eu nunca "vi mais gorda", na verdade magérrima, com um crachá de onde trabalho. Ela sorria e tinha um tupperware nas mãos. 
Cumprimentou-me e, logo, me contagiou com o seu sorriso. (Thanks!)
Disse que trabalhava no 3º andar (eu, no 6º), e, que a equipe em que trabalhava, dentro de dias subiria para trabalhar no 6º também.
Desceu comigo no "meu" andar, e, deu as boas vindas à equipe na qual trabalho. Desculpou-se por ter vindo nos ver somente esta manhã, pois, pensara que chegaríamos hoje, e, não na semana anterior, como, de fato, foi. Isto tinha descoberto havia minutos.
Entregou o tupperware. Ela tinha feito pãezinhos de queijo para nos dar "Bom dia"! *.*

Ela FEZ os pãezinhos.
Ela F-E-Z!

Dá para acreditar que as pessoas ainda façam isso para desconhecidos?