sábado, 29 de dezembro de 2012

Ho! Ho! Ho!

E então você passa algum tempo planejando a viagem de final do ano pro Sul...
Esse ano, infelizmente, não rolou aquela semaninha bônus básica de folga, mas... fomos pro Natal assim mesmo. E, claro que Murphy nos acompanhou!

O começo: Como as passagens de avião, na metade do ano, já estavam com preços para lá de absurdos, o jeito foi via terrestre mesmo. 
Previsão de Viagem: 10 horas.
O que rolou: Felicidade do mundo sair de Sampa às 05e30h e chegarmos às 22h em Tubarão. Ainda bem que não tentei a vida fazendo previsões... =P #fail
Chegamos podres e recepcionados por vários mosquitos. Mosquitada nível: tirei o tênis e fui tomar banho e levei umas 243857495 picadas no pé. =/

Mas, fora isso tudo belezinha. Vocês sabem que sou corneteira por vocação. Foi delicinha passar um tempo com a família, ter comidinha de mãe, quitutes de sogra, ver os primos, fazer bagunça... aquela coisa boa de estar em casa! Mas, eu super entendo que a graça é ler a ~desgraça~, so... rs

Domingo e Segunda: foram dias supimpas! ;) Nível de calor aceitável, programação família, ceia em Tubs... rolou até um esconde-esconde básico.

Terça: Volta a Criciúmã para o tradicional almoço de Natal da família. 
- Papai Noel, o senhor rói unha?
- Ho! Ho! Ho!
Como não adorar uma família made in vó Maria? 76 anos de pura zoação! De piadista a fazer promessas pros netos pagarem. É muito amor!
Então, tudo belezinha estar com a família, aquela coisa divertida meio hospício italiano, mas, tenho que confessar que quando passei pelo medidor de temperatura e ele já estava pra lá dos 40 graus, já comecei a sentir o drama & desespero. Mais tarde, soube que o ápice foram 43º. Desespero nível "Meu joelho está suando!" Pior é aquela história de sensação térmica. Sensação térmica? Era a de estar na capital do inferno... pior que ainda tinha um ventinho que ficava lembrando aquela cena de abrir o forno para ver se o assado tá no ponto. Mexicanismo: adoramos. 

Quarta: A volta. Dessa vez, fomos ~ixpertos~ e planejamos sair mais tarde. 
Previsão de Viagem: 10 horas.
O que rolou: Saímos às 11h. 3 horinhas básicas parados em Laguna + 3 horinhas no Morro dos Cavalos. Só amor. Só que não. Pontos altos: abrir uma caixa de bombons e eles estarem líquidos e meu pai mandando mensagens desesperadamente como se não houvesse amanhã (se ele já estava pra lá de nervoso só pelas mensagens, imagino se estivesse no carro com a gente):
- Onde vocês estão?
- Paramos antes da entrada da Guarda do Embaú.
Meia hora depois:
- Já passaram o pedágio?
- Ainda não.
- Estão onde?
- Antes da entrada da Guarda do Embaú.
- Ainda? O trânsito tá parado?
- Não, entramos para dar um mergulho.
- Ah, tão de brincadeira, né?
E fui automaticamente castigada por essa brincadeira inocente com meu pai, chegando em São Paulo por volta das 6 da madruga. Além de achar que tinha perdido a carteira quando cheguei na frente do penúltimo pedágio e me lambuzar de graxa na caça desesperada ao item sumido. 
Detalhe: estar no trabalho até às 9h. =X
Obviamente, trabalhei o dia todo a base de café. 
Chegando em casa, pós work, sentei para descansar e me atualizar, a.k.a., ler o que vocês postaram nas redes sociais. Descobri milhares de hematomas nos joelhos que devem ser recompensa pela busca a carteira. Eu sentei com as pernas cruzadas estilo borboleta, sabe como é? Uma grande tolice, porque eu nunca sento desse jeito. Anyway, meia hora depois quando levantei, não senti que minha perna tinha ~dormido~, ou seja, levantei e tomei um estabaco. O estabaco. Foi massa! Vocês iam rir. Adorei meus novos hematomas.
Nessas horas, penso se realmente não há uma câmera escondida me seguindo all time.


quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Apenas Sensacional!

Achei isso tão ~maravilhese~ que não me contive em não compartilhar com vocês!

(Não sei quem é o autor... se alguém souber avise para eu poder dar os devidos créditos!)


Quero ser uma ~escritora-Brad-Pitt~!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Tinha uma Princesa


Então, tinha uma princesa. 
Logo que me viu, 
sorriu. 
E continuou sorrindo. 
Até que a alcancei. 
Delicadamente, ofereceu-me o rosto 
e eu o beijei. 
Depois me deu tchau. 
E ficou acenando 
até sumir de vista. 
=)

sábado, 1 de dezembro de 2012

Relato daquele que dorme ao meu lado

De repente, do nada, a dor. Dormia e sentia que fora atingido com toda a força, no meio da testa. Acorda. Vê meu cotovelo deixando o local do crime. Eu continuo a dormir. Resolve virar para o outro lado, vai que a próxima pega no olho?

Respondo a clássica ao amanhecer: "Porque bati não sei. Mas, com certeza você sabe porque levou."

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Eu, a Artista!!

Sabe aquela história do grão de areia que faz a diferença?

Voltava da aula, sábado, por volta das 18 horas, podre de cansada. Desci no metrô Clínicas e vinha a passos apressados para casa, louca por um banho. Quando começo a ver muito papel no chão. De repente, um rapaz me entrega um adesivo e pede que eu ajude. Várias pessoas faziam o mesmo. Era só ficar dentro do riscado de giz! ;)



Olha que legal! Um desses adesivos fui eu quem colocou! =P
I helped!! 

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Teatro: "Bang Bang Você Morreu!"


Fim de feriado, o que fazer? 
Que tal ir ao teatro?

A indicação é o espetáculo "Bang Bang Você Morreu", uma adaptação do texto de William Mastrosimone, que denuncia e combate a violência física e psicológica presente nas escolas. 

A peça gira em torno da mente de Josh, um menino inteligente que decide matar alguns colegas da escola. 

Josh ouve vozes, vozes que representam seus colegas mortos e que querem descobrir os motivos pelos quais eles foram os escolhidos. 

Então, começamos a acompanhar a mente de Josh e a "entender" os motivos que o levaram ao ato. 

Bulling?
Superproteção dos pais?
Fim do namoro?
Expulsão da escola?

A raiva e a fúria da sua mente são alimentadas constantemente no decorrer da peça.
A discriminação, o preconceito e sentimentos contraditórios mostram do que um garoto, que, ora se revela popular e seguro, e, ora, se revela mimado e com todos seus desejos atendidos, é capaz quando o que se espera dele invade os preceitos morais de um grupo ou da sociedade como um todo.  

Vemos, durante cerca de uma hora, um cenário simples, algumas cadeiras e lanternas, pouco figurino. Porém as falas são dinâmicas e perfeitamente encaixadas. Muito bem ensaiado, sem erros. Tudo acontece de forma muito rápida, prendendo nossa atenção.

Ficou com vontade?

Aproveite que hoje é a última apresentação: às 21 horas, no Teatro Bibi Ferreira, Avenida Brigadeiro Luis Antonio, 931! Por meras 30 moedas!!

Beijim, 


*Texto original de Sereias Afogadas!

domingo, 18 de novembro de 2012

Com mensagem:

"Não perca tempo demais nas coisas que não valem a pena."

Sonhei com isso hoje. O pior era que EU dava esse conselho para um amigo. Eu. Tá, né. Por via das dúvidas, achei melhor compartilhar. Então, #fikaadyca, galere. Beijos.

Curando traumas!

Trauma número 1: Wolverine.
Encontrar a pessoa toda montada num ~Pink Wolverine~ não tem preço.
Resultado: trauma curado! =)

Trauma número 2: "Like a prayer"
Assistir/escutar Felicia toda montada cantando "Like a Prayer"... *.*
Resultado: trauma onde?

Trauma número 3: Lagartixas
Bom, esse eu resolvi deixar para a terapia, por que, neam? Chances de ficar mais traumatizada gigantescas! ;)

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Lembranças...

... ou mais uma ~Cenas de Mercado~...

Estava eu no mercado, na entrada, onde aqui, em São Paulo, costumam ficar as flores. Eu e uma colega de trabalho. Ela queria ver as orquídeas. Tinham acabado de chegar. Muitas. Até que comecei a olhar as rosas... Pode ser/parecer clichê, mas, são as minhas preferidas... E, então, num canto as avistei:


As rosinhas de Santa Terezinha! Em tantas cores! Nunca tinha visto! Até azuis!
Na verdade, nem sei como se chamam. Lembro de ter ouvido alguém falar assim quando eu era pequena e ficou.

Estava justamente contando para minha colega a razão de eu gostar e me encantar tanto com elas, quando uma senhora chegou e começou a escolher uma ramalhete de rosas. (As de verdade, hehe)

"Minha avó tirava as brancas do quintal e prendia nos meus cabelos". 
"Uma bela recordação de avó!" Exclamou a senhora ao nosso lado.

Verdade. Belíssima.
E uma das imagens mais vívidas que tenho dela. Dessas que o tempo não apaga. 

=)

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Conversas de trabalho...

ele: sabe quanto é aquela tarifa sobre cheque superior a R$ 5 mil?
eu: tentei achar aqui nas tabelas mas nao consegui
ele: ahh tks


Minutos depois...

euconseguiu descobrir?
elesim
eu: qto é? 

      ou não existe mais?
ele0,11% mesmo
      continua igual
      sobre cheques acima de 5 mil e liquidados via compe
eue vc tá perguntando isso pq vai descontar da minha parte do prêmio da mega?
elekkkkk
      não acertei um numerinho sequer
eusério?
     que droga!
elesério
euparece minha mãe jogando
elesou um azarão pra jogos
      a única vez que lembro de ter sido sorteado
      foi pq éramos em x pessoas e haviam x-1 livros
      iam sortear o que ficaria sem
eukkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      tô chorando, chorando
      de rir aqui
elekkkkk
      #essaéminhavibe
eukkkkkkkkkkkk


Minutos depois...

eu: não parei de rir ainda
      tive até que contar a história aqui, pq não tava me aguentando de rir
elehahahaha


Moral da história: me matei de rir de novo ao reler.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Inspire-se!

Meu celular tocou faz, pelo menos, 10 minutos. Indicando que é hora de dormir. E eu estou aqui escrevendo.

Estive no médico semana passada. Levei puxões de orelhas. Nada básicos. Tomei remédio. Fiquei banza, porque apesar de fazer escarcéu no twitter quando estou com dor, quase não tomo remédios.

Mas, mesmo antes de ver o doutor, já tinha me decidido a mudar, um pouco, ao menos. 
Porque quando você reclama muito ou só lamenta, tem algo errado nisso. Algo de muito errado. E quantas vezes vim aqui só para isso?
Comecei a analisar se o lado errado da situação não era eu. "Sim, você tem razão em reclamar, em lamentar, mas, o que você está fazendo de concreto para mudar isso?"
Nada. Apenas nada.

A verdade é que quando você se acomoda a uma situação, é bem difícil se mexer. Que dirá mudar. 
Mas, eu estou começando. Devagar. Um passinho de formiga por vez. Mas, eu vou conseguir. Eu vou.

Resolvi começar pelo que achei mais ~fácil~: alimentação.  Fui inspirada pela Guiga e seu novo blog. 
E estou mudando meus hábitos alimentares. O #vaigordinha vai morrer? Jamais! Nunca (espero!) serei dessas radicais que come só "coisa que faz bem". Fui #vaigordinha a vida toda, não vou crucificar um BK ou um Mc de uma hora para outra. Estou, sim, tentando me alimentar melhor, mas não virei um cardápio exemplar. 

Porém, coloquei uma garrafinha d'água ao lado do meu computador no trabalho, por exemplo. Porque se não fizer isso, eu esqueço de tomar água. Esqueço. É fato. 
Estou tomando café da manhã (aleluia!) com direito a granola + aveia + iogurte. 
Coloquei o despertador para me avisar que de três em três horas (mais ou menos) tenho que comer um belisquete, ao menos. 
Estou pedalando, ao menos uma vez por semana. Não consegui criar uma rotina ainda, infelizmente. Me sinto cansada demais. Opa! Olha eu reclamando de novo!
E, coloquei o despertador para me avisar que tenho dormir também, para ver se paro com esse mau hábito de ir para cama de madrugada. Como ele gentilmente me avisou 20 minutos atrás. Já que não posso acordar mais tarde...

O que eu tão tortuosamente, desajeitadamente e resumidamente estou querendo dizer é: 

Inspire-se! Faça algo bom por você!

Se você já faz, minhas felicitações verdadeiras. Palavra de quem levou um ótimo sermão do médico. E, acreditem, eu precisava. 

Só espero que desta vez, eu acorde!

Orgulho da mamãe! #vaigordinha

sábado, 20 de outubro de 2012

Pequenas ~Revelações~

Essa semana, sentei para assistir um pedaço da faladíssima Avenida Brasil. 
Não tinha assistido nenhum capítulo ainda, mas, claro, não estava de todo alheia. Twitter, capas de revistas, colegas de trabalho... sabia que existia uma Carms e um Tufão, um Max, uma Nina, uma mãe Lucinda...
Então, liguei a tv e, na tela, apareceu o eterno Albieri contando uma história. De repente, em meio todo aquele blá blá blá, a revelação:

"O Nilo era bancário."

Apenas isso.

Desliguei a tv, fui ler um livro.

*Imagem: Reprodução

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Cenas de Supermercado

Aí, eu estava ali, vendo revistas naquelas prateleirinhas ao lado do caixa.
Uma senhora entre 60 e 70 anos, alta, magra, distinta... (uma lady, sabe como é?) terminando de passar um ~rancho~ no caixa.
Então, chega o próximo da fila: um senhor da mesma idade, baixinho, gordinho, barrigudo, (bem estilo vovô Noel bonachão, sabe como é?).
A caixa fala o valor e ela saca o cartão. O senhor na mesma hora:
- Viu só? É por isso que eu nunca dei um cartão de crédito para a minha mulher.
A senhora, que já retirava as compras do caixa, retruca:
- E é por isso que eu nunca tive um marido!


quarta-feira, 10 de outubro de 2012

"Nunca deixe de escrever"

Sabe aquelas lembranças que ficam bem guardadinhas lá dentro e dificilmente vêm a tona?
Pois é! Acabei de achar uma dessas... 
Estava aqui, pensando que o final do ano está chegando e com ele, o meu projeto também: o Sereias Afogadas. No fim, o Sereias acabou sendo um Brócolis! menos íntimo, com menos trapalhada e reclamação e menos cara de "Querido Diário", mas, que eu adoro igualmente. Então, feito uma velha de dois corações, pensava se ano que vem paro com o Sereias e sigo só com o Brócolis!, trazendo umas coisinhas de lá para cá, ou se sigo com os dois, do jeitinho que é aqui, por diversão, sem compromisso... (Btw, adoraria opiniões!)

Foi aí que eu lembrei de algo que quase nunca desenterro: eu já tive uma coluna num jornal! Acreditam? Eu não lembro direito como era. Claro, era o jornal de um vizinho, de pequena circulação. Foi entre a segunda e a quinta série, nem o ano sei. Ele e a esposa me convidaram para escrever sobre o que eu quisesse e eu aceitei. Tinha apenas que levar os textos até certa data na casa deles. Não durou muito. Logo, eles estavam de mudança e as provas do colégio chegando... bom, ainda tenho os recortes.

Porém, nem foi essa a minha lembrança de verdade. Foi sim de uma senhora, chamada Safira, que trabalhava com uma tia minha e que eu via muito, mas, muito raramente. Eu acompanhei minha tia num desses programas de índio do trabalho dela. Na época, ela fazia parte da Secretaria do Meio Ambiente e... eu nem lembro o que eu fui fazer lá.

Mas, enfim, encontrei Safira pela primeira vez. Ela me cumprimentou e disse, assim do nada, que lia o que eu escrevia. Que esperava toda semana para ler o que escrevia. E que mesmo que aquilo com o jornal não durasse, que eu nunca, nunca deveria parar de escrever. 

Lembrei disso e achei fofo! =)

sábado, 29 de setembro de 2012

Tem que ter Habilidade...

Aí, descobri que tenho outro ciclo: o dos trabalhos manuais (qual é gente? Everybody é bem grandinho por aqui né?)

Ano passado estava numa fase ~costureira~. E, acabei criando a boneca mais feia do mundo. Porém, que adoro e acho linda. Tem até tatuagem! 
Tentei vários nomes: Anna, Lila, Lolly, Rory, mas, não adianta, o apelido da maldade que o namorado inventou, pegou... =~

Eis (insira seu nome fofinho) Cocoon: (Do filme mesmo, ele apelidou quando eu ainda estava montando a boneca e ela estava sem cabelos... ¬¬)

E a fase da costura passou... Cocoon continua firme e forte, mas, sem o closet maravilhoso que eu desenhei e planejei fazer...
Então, esses tempos, depois de provar 'n' pulseiras e anéis e nenhum ficar bom (só as bijus com tamanho infantil ¬¬), resolvi eu mesma tentar minhas próprias bijus. *.*
O primeiro resultado parece promissor! 

A inspiração: http://www.sereiasafogadas.com/2012/09/aos-11-voce-usaria.html

Estamos de olho!

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Ciclos...

Muita coincidência ler uns tuítes da Mila falando sobre o que fazer nas madeixas quando eu estava justamente dissertando sobre as minhas...

Acabei de reparar, eu tenho um ciclo para os meus cabelos. A cada 5 anos, mais ou menos, vai batendo aquela vontade de mudar (como se trocar o comprimento da cintura para o da nuca já não fosse o suficiente), começo a me interessar pelas fotos. Acho todas as meninas/mulheres com um determinado corte lindas de morrer, e, quando dou por mim, já estou em casa, secando os cabelos, me analisando e xingado muito por ter feito a burrada de cortar uma franja DE NOVO.

Com o passar dos anos, fui aprendendo com as minhas franjas mal sucedidas, revoltadas e indisciplinadas. Da última vez, deixei algumas pessoas incubidas de me desmotivarem caso essa vontade teimasse em reaparecer (porque se eu já sou chata normalmente, imagina reclamando do cabelo all time). Minha mãe foi uma delas. E ela foi firme no seu propósito. Tentou me dissuadir bravamente. Mas, a dois mil km de distância, ficou um pouco difícil de resistir a tentação.

Agora, cá estou eu... pensando o quanto eu vou me odiar eternamente (ou até a franja crescer) depois de lavar meu cabelos.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Brócolis!+20

Podia fazer uma sessão da #xou #da #shooosha no twitter, mas, vou falar aqui mesmo...

Estava viajando aqui no "porque meus blogs não viram"... Nem sei se é isso que eu quero/quis/queria, apesar de achar super tentadora a ideia de levar uma vida estilo Carrie Bradshaw, acordar-escrever-ver as amigas-jantar-cosmopolitan-closet de babar-mais cosmopolitan... essas coisas de Sex & City...

O Brócolis! faz 4 anos em 25/11, dia de Santa Catarina! =D O Sereias é novato (btw alguém viu o novo layout? que acharam? cafoninha demaxxx?), um baby de 9 meses... É verdade que não consigo dedicar o tempo que gostaria a eles, porque, neam... uma #vaigordinha precisa pagar a conta do restaurante. 
Mesmo assim, não acho que escreva tão mal, quer dizer, na verdade, acho que um monte de gente que escreve pior e que tem erros de português grotescos, (não é pro chapéu servir em ninguém, é só uma avaliação geral) está anos luz na minha frente! (Bom mesmo seria ter um erro bem grotesco nesse texto, hein? Tipo... ~menAs~, aliás, já vou deixar o erro aqui para ninguém ficar procurando outro...)

Pensei, pensei, pensei...

Até que acendeu a lampadinha: Eles pagam! PA-GAM! (Mais uma vez, sem chapéu! É uma forma válida de divulgação. E não se aplicam a todos os blogs bem sucedidos, ok?)

Ponderei a ideia... Não sei se rola, até porque dindin, aquele item básico de primeira necessidade, anda bem escasso pelas plantações de brócolis da terra da garoa.

Anyway, depois de queimar muito tutano, o resultado foi que:

Fiquei super feliz pelos meus menos de 20 seguidores... Ao menos a certeza de que seguem porque gostam! =) (Se for por política da boa vizinhança também está valendo, mas, não precisa ~tacar na cara~ hehehehe)

A vocês, meus quase 20, MUITO OBRIGADA!

PS: Uma provinha do futuro improvável como blogueira remunerada e ~bem sucedida~:


terça-feira, 4 de setembro de 2012

Teatro: Na Colônia Penal - Franz Kafka


Texto original do Sereias Afogadas.


Você já leu um "Kafka"? E, supondo que a resposta tenha sido "sim", gostou?

Franz Kafka foi uma das figuras mais perturbadoras da literatura, um escritor do século XX. A maioria de seus textos, encontrados incompletos, foram publicados postumamente, mas, ainda sim, estão entre os mais influentes da literatura ocidental. 
A vida do autor contribuiu para que sua obra assumisse os contornos sombrios, que, segundo consta,  não passam de projeções do próprio, seus medos, angústias e solidão. 
Lembram do filme "A Mosca"? Antigo, eu sei. Este filme foi adaptado da novela kafkaniana "A Metamorfose". 
Na faculdade, um dos muitos fichamentos que fiz foi sobre "O Processo". Porém, eu já conhecia as personagens de Kafka de outros carnavais. 
Personagens que, muitas vezes, não sabem o objetivo de suas vidas ou que rumo tomar, acabam sós e questionando a sua existência diante de um acontecimento que não planejaram e que se volta contra eles. Mexicana, eu? Não, não, é assim mesmo que as coisas acontecem.
Conheço-as de outros carnavais, pois, um amigo, em um desses verões em que ninguém tinha que trabalhar, apresentou-nos, e, aquelas férias foram, em grande parte, dedicadas a desvendar os ~mistérios~ de Franz Kafka. 

Estava a tempos sem ouvir uma palavra de Franz a íntima, até que, semana passada, ele reapareceu na minha vida, através da estréia da peça "Na Colônia Penal". 
Amei o reencontro! Sou muito suspeita porque, para mim, foi uma combinação deliciosa: Kafka + teatro. 
Elenco talentoso e corajoso! *.* Assisti as palavras de Kafka fielmente representadas. Senti a agonia, a expectativa, a raiva, o orgulho, o ódio, enfim, pude ver cada personagem lida há tempos. Ao vivo. A cores. Na minha frente. 

Em "Na Colônia Penal" presenciamos a tragédia em forma de prosa. 
Um Oficial Estrangeiro está em visita a Colônia para conhecer melhor os métodos e procedimentos de julgamento e do aparelho que irá infringir a pena ao condenado. É uma história absurda que critica os sistemas de aplicação das penas e os estados despóticos. E... mais? Ahhh, isso só assistindo ou lendo o livro!

Usurpadas do insta do @welingtonl!!

Se você gosta de Kafka, está mais do que recomendado! =)
E vocês? Curtem Kafka? Gostam de dar uma "escapadinha" para o teatro? Com que frequência?



Beijim, 


Mais informações: A peça vai até 02/10/2012, terças e quintas às 21h, no Teatro do Ator (Praça Franklin Roosevelt, 172- Consolação/SP) - Censura 14 anos!

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

A Cena

Aí, você resolve ir no banheiro no meio do Happy. 
Você vai até o banheiro, aqueles de divisórias, sabe? Que dependendo da distância cubículo/pia, você consegue ver o calçado da indivídua que está pilotando o vaso. hehehe

Ok. 

Aí, você empurra a porta do banheiro. A porta tem aqueles trecos para que não fique aberta, e, esse treco, faz a porta ranger. Mas, não é qualquer rangido não, são rangidos daqueles, dignos de filme de suspense. 

Ok. 

Aí, você entra no banheiro, com a "tia" da limpeza, de rodinho na mão, atrás de você.

Tem um cubículo vazio.
E, a porta, de quando em quando, rangendo alucinadamente.
Então, toca um celular. E o toque é a música tema de "Psicose".

Aí, você avalia a cena. (Orgulho de ainda ter discernimento:)
Você num cubículo, a porta rangendo, "Psicose" tocando. 
Você olha para baixo e o rodinho, que está sendo passado no chão do cubículo ao lado, invade em parte o seu e passa ao.seu.lado.

"Se tivesse tomado só água, não dava tempo de acontecer/perceber tanta coisa."

sábado, 25 de agosto de 2012

Eu só quis dizer... II

Das alegrias de se ter um aparelho ortodôntico no céu da boca:

- Falo igual um pato ou com um ovo na garganta... como queiram ¬¬, ou seja, sou a nova GISELE MADONINHAAAAAAA! Ahazei!

- Consigo comer no máximo metade da comida que coloco no prato, e, como devagar, com as 39743975 mastigações que os médicos recomendam. Phyna!

- Tenho que mandar fazer furos extras nos meus cintos, ou, comprar... MENORES! Sambei geral na cara do high society!!!! 


PS: Não sabe quem é Gisele Madoninha? Affffe
Apresento-lhes:
Gizele - "Em busca da Vitória"

Meu sonho um CD dela autografado.


sábado, 18 de agosto de 2012

Cenas de Rodoviária - II

(Cena):
Ainda no mesmo dia, na mesma rodoviária. Estava sentada na lanchonete. Olhando para fora. Esperando chegar o #vaigordinha versão fritura (saudades do tempo em que eu podia comer =~, não é mexicanismo dessa vez, apenas a pura e dolorida verdade, emfim). Vejo um rapaz, da minha altura, boné, estilo esportivo... calças like Mel C. Um vaso de flores na mão. Flores estranhas. Acho que nunca vi. Brancas com uns detalhes rosados. (Até dei uma ~googlada~, mas, não rolou.)
Ele passou para lá. Depois, para cá. Voltou e parou a poucos metros de onde eu estava. 
Abriu um sorriso gigante. Fechou. Ficou em dúvida: Sorria ou não? 
A dois metros dele, um outro rapaz. Um pouco mais alto, jeito esportivo também. Mochila. 
Um parado em frente ao outro.
O segundo rapaz levou a mão a boca. Esconderia um sorriso? Não sei.
O primeiro tentou estender o vaso. Retirou. Não sabia se estendia ou não. Tentou outra vez.
O segundo tentou estender as mãos para pegar o vaso. Retirou. Não sabia se pegava ou não.
Parecia que não acreditavam no momento.
O primeiro estendeu o vaso novamente. Desta vez, o segundo pegou.
Agora, sorriam.
Abraçaram-se. 
O sorriso voltou-lhes. Aquele sorriso que é propriedade somente dos apaixonados. Dos apaixonados na presença do ser amado. Sabe qual é? Sorte sua! Sorte minha! Sorte deles!

Achei a cena tão delicada e bonita. 
Suspirei. 
Meu lanche chegou.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Cenas de Rodoviária - I

(Cena:) 
Aí, estou lá na rodô de Floripa, naquelas cadeiras laranjas, porque a ~sala vip~ da companhia de ônibus está lotada. 
Senta ao meu lado uma moça, morena, alta, magra, look like importante executiva, óculos.
Ela tira um livro da bolsa. E mergulha na leitura.
Cinco minutos depois, um homem para a sua frente:
- Moça. Moça.
Nada.
- Moça!
Ela calmamente levanta a cabeça:
- Sim?
- Você pode me dar 3 reais? É que a passagem custa 85 e eu tenho só 82...
- Posso.
Silêncio.
- Se você me mostrar os 82 reais.
O moço sumiu. Não o vi mais até embarcar rumo a Crici city.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Prioridades

Oi, pípol? Tudo bem?
Então... Comecei a odisséia de colocar aparelho ortodôntico. Oh, via crucis!!
Uma semana, coloquei parte dos braquetes e, de brinde, ganhei a deliciosa sensação de passar all day achando que os dentes vão cair. Dor? Não, gracias! Mas, sabe aqueles dias que você acorda e os dentes estão meio molengas? Pois é, péssimo da Silva.
Aí, quando já tinha me acostumado fisicamente, ou seja, aparentemente os dentes voltaram ao normal, voltei ao consultório para botar os (mwahahaha - imagino o dentista dando esse tipo de risada quando percebe que o paciente tem que usar aparelho. Sorry! Não é maldade, é imaginação fértil.) ~separadores~! Uma das formas em que o elástico assume a postura de ~borrachinhas da maldade~! Afffff! Dor? Not again! Mas, e a coceira que esse trem provoca? Nível dente nascendo! E eu que não masco chiclete há anos, tenho a sensação de que estou, permanentemente, com um entre os dentes. Ó, céus!
Fora o medo de uma delas arrebentar e ter que colocar de novo. E a aflição de que esse negócio não faça efeito dentro do prazo previsto e eu tenha que ficar com isso ad eternum... 
Como se não estivesse um tanto desconfortável, uma das quatro borrachinhas azuis e lindas resolveu incomodar de verdade: a coceira ficou tipo dolorida e rola todo um malabarismo para mastigar.
Resultado: emagrecer ! = conclusão lógica! *.*
Porém, ao invés de montar meu prato quase balanceado de todo santo dia de buffet, passei a ingerir minhas 300/400g diárias em forma de pasta! Fuuuuuuu, but, Mamma Itália fica feliz!
Além de todos esses pequenos estresses que me deixaram bem ~jururu~ a semana toda, ainda tinha que arrumar a mala... E novidade: ok, não estava tudo arrumado, mas, eu já tinha o planejamento perfeito!!! Até que liguei para minha Mommy só para averiguar quantos quilos de roupa eu devia levar e.... Meus planos lindos, chiques e invernais desceram pelo ralo. Fuén, fuén, fuén... "Faz calor em Criciúmã!" E agora, José? Ignoro os avisos e mesmo assim levo roupas quentinhas? Xingo até a morte e corro para ver o que tem de digno e ~fresquinho~ no wardrobe? Aguardem cenas do próximos capítulos!!

Agora, pasmem, que o meu verdadeiro dilema interno é esse:
Sábado super vai rolar um dogão. Dogão das meninas!! weeeeee E eu, uma #vaigordinha convicta, que não estou 100% no quesito mastigar, venho me torturando quanto a seguinte questão:

Será que rola pedir talheres no Dogão ou vou ter que fazer um doguinho miradinho?

Prioridades, galere, prioridades...



quinta-feira, 26 de julho de 2012

Vou Pintar um Arco-Íris de Energia...

Ontem foi dia 25 de Julho:
- Dia de São Cristóvão (sorte minha ~ter caído~ a tradição de usar o nome do "santo do dia" e adaptações para o new baby);
- Dia do Colono (Irra! Tomar um vinho para comemorar!)
- Dia do Motorista (né?)
- Dia do Escritor (Dream a little dream of me *.*)

e, entre outras coisinhas básicas que aconteceram e se comemoraram neste dia, esse também foi o Dia Internacional/Mundial e why not? Intergalático desta que vos fala. =P

Agradeço a todos que lembraram de mim (weeeee!), mas, essa não é a intenção do post.
A real intenção é mostrar uma foto que minha prima Lu desenterrou! Literalmente de 1990, quando eu tinha 7 aninhos! Olha que fuefas!


Os looks se justificam devido a "Festa da Família" que rolava/rola (oi?) no colégio. Nessa festa, os alunos apresentavam dancinhas - para os pais, avós, tios, vizinhos... enfim -  com coreos terríveis ensaiadas ~exaustivamente~ nas aulas de Educação Física. Vai, gente, era divertido!
Acho que a turma da minha prima apresentou alguma música da Angélica. Se eu não me engano tinha uma boneca com o vestido assim...
Agora, eu, né, gente... Abapha! Ahazani no pemanente natural, super fashion nos recém acabados anos 80! Nessa época, achava a musa Rosana o máximo e fazia de "Como uma Deusa" meu número para apresentar no churras de domingo! 
E, esse luxo de roupa da Paquita? kkkkkk Tarra lyndra! Não tenho ideia do que eu dancei, mas, lembro que tinha uma Xuxa que infelizmente não era verde e as outras meninas, as loiras, eram paquitas de roupas brancas e turquesa! Puro glamour!
Amei o ~desenterro~ desta foto!

Encerro com uma das pérolas de ontem:

"Um viva aos inteligentes, bonitos e chuchu!" 

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Oh, Janis!

Estava pensando no quê eu poderia escrever sobre o Dia Mundial do Rock, celebrado depois do Live Aid, que aconteceu em 13 de julho de 1985. Pensava no que poderia focar... na data, no Live Aid, em algum show, até que... 


"Oh, come on, come on, come on, come on!"

Bradou o ipod...
And... Why not? So, let's talk about her *.*

A voz inconfundível e explosiva, uma das mais distintas da história. É quase impossível ouvi-la e não reconhecê-la. 
Ela viveu cada sílaba que cantou, e afirmou-se sem medo em ritmos como blues, folk e rock com autoridade e entusiasmo.
Suas performances deixavam seu público sem palavras, seu magnetismo sexual, seu estilo e, claro, sua voz, sua característica mais marcante, quebraram o estereótipo que se tinha de como deveria ser um artista do sexo feminino, tornando-a um dos ícones do rock psicodélico e dos anos 60.
Janis Lyn Joplin nasceu em 19 de janeiro de 1943, em Port Arthur, Texas. Já na adolescência foi influenciada pelas vozes de grandes cantores do blues, como as de Big Mama Thornton, Leadbelly e Bessie Smith e começou a cantar no coral da igreja local. Fez uma rápida passagem pela faculdade, mas, foi atraída por lendas do blues e poesias, que sempre venceram os seus estudos. 
Mudou-se para San Francisco em 63, e, lá, encontrou o guitarrista Jorma Kaukonen. Desse encontro resultaram as clássicas "Trouble in Mind" e "Nobody Knows You When You're Down and Out" com as batidas de máquina de escrever da esposa de Jorma, Margareta.
Logo, voltou para o Texas, para fugir dos excessos (reza a lenda que sua bebida preferida era "Southern Comfort"). Mas, a Califórnia a chamou de volta! Em 66, San Francisco, adota o estilo alfaiataria selvagem: óculos de vovó, cabelos crespos, roupas extravagantes, o estilo hippie!  As suas influências musicais fizeram com que Janis se tornasse parte do grupo "Big Brother and The Holding Company".  A banda assina com um selo, e, em 1967, grava seu primeiro álbum.
Em 1968, lança "Cheap Thrills", um dos melhores!, que alcança o primeiro lugar na Billboard durante oito semanas não consecutivas, com "Piece of My Heart" ("Oh, come on, come on, come on, come on!"). Resultado: Janis vira a sensação do momento, com direto a elogios da Time E Vogue!
E, então, acontece: a inevitável saída do Big Brother para o estrelato solo. Reuniu um grupo próprio, a "Kozmic Blues Band", e, em 69, temos "I Got Dem Ol' Kozmic Blues Again Mama!", loucura pura!!! E, no mesmo ano: Woodstock!
A sua última canção gravada foi "Mercedes Benz", juntamente com "Happy Trails", um presente para John Lennon, que fazia aniversário em 9 de outubro. Em uma entrevista, Lennon contou que a fita chegou a sua casa após a sua morte.

Ela morreu em 4 de outubro de 1970, vítima de uma overdose de heroína e apenas 16 dias após a perda de Jimi Hendrix, com 27 anos. Entrando, assim como Hendrix, para o famoso ~Clube dos 27~. O corpo de Janis Joplin foi cremado  e suas cinzas espalhadas pelo Oceano Pacífico.
Pearl foi lançado postumamente no ano seguinte. 
O LP tornou-se o lançamento mais vendido da carreira de Janis Joplin e, em 2003, foi classificada como #122 na revista Rolling Stone dos "500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos".
Nos anos que se seguiram, as gravações de Janis Joplin e performances filmadas consolidaram o seu status como ícone e a sua curta, mas, bombástica carreira. Ela é uma referência no rock.



segunda-feira, 9 de julho de 2012

Cerises!

Felicidades do feriadão:

- Terminei de ler "O Retrato de Dorian Gray". PS: Devorei algumas partes, mas, no geral, não morri de amores;
- Whopper! #vaigordinha. Porém, com arrependimento de sempre de não trazer um extra para casa;
- Descobrir que tenho um amigo, que apesar de já ter ido para Paris duas vezes, sambando na minha cara, adoraria ir comigo, porque lá, ele lembra de mim all time! (sim, fiquei lisonjeadíssima - e, tentando loucamente, tirar dinheiro de pedra para realizar isso!);
- E, descobrir que dia 26 tem show do Fito Paez em Sampa! =) Quero irrrrrrr;
- Cerejas! As mini maçãs mais lindas e deliciosas do mundo! Graças a sobrinha da colega de trabalho que ama as frutinhas! Fizemos a correria na feira e conseguimos comprar a R$30 o quilo! Pasmem! Começamos com 80 na primeira barraca!


segunda-feira, 2 de julho de 2012

Cheers àqueles que ainda acreditam!

Aí, eu, finalmente, desço do busão, com humor ~mazomeno~, para começar mais um dia de trabalho.
Encontro no elevador, uma "menina", que eu nunca "vi mais gorda", na verdade magérrima, com um crachá de onde trabalho. Ela sorria e tinha um tupperware nas mãos. 
Cumprimentou-me e, logo, me contagiou com o seu sorriso. (Thanks!)
Disse que trabalhava no 3º andar (eu, no 6º), e, que a equipe em que trabalhava, dentro de dias subiria para trabalhar no 6º também.
Desceu comigo no "meu" andar, e, deu as boas vindas à equipe na qual trabalho. Desculpou-se por ter vindo nos ver somente esta manhã, pois, pensara que chegaríamos hoje, e, não na semana anterior, como, de fato, foi. Isto tinha descoberto havia minutos.
Entregou o tupperware. Ela tinha feito pãezinhos de queijo para nos dar "Bom dia"! *.*

Ela FEZ os pãezinhos.
Ela F-E-Z!

Dá para acreditar que as pessoas ainda façam isso para desconhecidos?

sábado, 30 de junho de 2012

Mudança de Endereço!

Do blog? Não, gente!
Do trabalho da vida real! 
Meu setor foi transferido da Paulista mimimimi para a Angélica. 
Adorei quando fui da Oscar Freire para a Paulista. Não que eu não adorasse a Oscar Freire, mas, meu bolso chorava todo dia que ia pro trabalho. 
Já na Paulista, as coisas eram mais fáceis e um pouco mais em conta.
Então, quando a notícia da nova mudança chegou, meu mundo caiu...
Até que chegou o dia!
A mudança de rota acrescentou 5 minutos de caminhada. Ok! E lá, encontrei um local ensolarado, agradável, mais silencioso, bonito, mais barato$! *.*
Tudo completamente diferente do que tinham pintado para mim! A-do-rei!
E, espero que dure! E que a vida cigana dê uma folga!


PS: Estava assistindo "Nunca fui beijada" enquanto escrevia este devaneio aqui, e, prestando atenção na trilha do filme, cheguei a uma conclusão super válida, baseada em experiências de pessoas muito próximas. Atenção para o minuto de hã-hã sabedoria: =P

Se você conhece alguém interessante ao som de/Se a sua trilha sonora com alguém é "Like a Prayer", runaway! Fujaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! Apenas isso. Sérião! Mesmo.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Pacote de Explicações

E aí, gente? Como vão vocês?

Sei que ando um bocado chata, e, só tenho reclamado por aqui ultimamente, mas, acredite, já esteve pior. 
Aliás, quem manja de horóscopo e afins, rola inferno astral um mês e meio antes do aniversário? hehe
Também quero agradecer pela persistência, pípol! Apesar de não estar escrevendo com tanta frequencia, sempre acompanho as visitas, e, simplesmente, amo quando elas acontecem! (Acho que é o desejo de todo ~blogueiro~, neam?)
Bom, eu continuo fazendo das minhas, mas, como, nos últimos tempos, tenho me ferrado com um pouquinho mais de força (se é que vocês me entendem), muitas das minhas peripércias tornam-se impublicáveis! hehehee
Entretanto, acreditem, nada tão engraçado que valesse a pena escrever, só uns ônibus errados e tals. 
Então, logo, logo, acredito que volto as boas e consigo passar mais tempo por aqui! ;)
Como me disse uma senhorinha a algum tempo, tenho muito a persistir ainda! (Aliás, só comigo que isso acontece, ou volta e meia, um total desconhecido dá um conselho para vocês que parece ser made in ~além~?)

Ah, gente, muito obrigada também pelas visitas no Sereias e por me acompanharem na semanada do SPFW, a quantidade de acessos foi muito legal, e, por curtirem no face, seguir no google, coisa e tal... Thanks!

PS: E... especial para o pessoal do Always: tô voltando, vou tirar um pouquinho do ar, como já falei e dar uma ~melhorada~ =P

sábado, 9 de junho de 2012

Um dia após o outro...

Numa semana, você tá toda feliz por ver seus amigos se realizando a si próprios hehehe.
Na outra, você fica chateada por causa da ~realização~ de outros "amigos". 
Não me achem recalcada ou invejosa... Ou achem, sei lá... Mas, não é isso!
Apenas, é que, de alguma forma, quando você partilha sonhos e ideias com alguém, e, sem você saber, essa pessoa põe em prática as suas ideias com terceiros e não te chama para o ~evento~... sabe?
Talvez, esteja na hora de rever meus conceitos...
... ou, os meus poucos amigos...
ou, eu, simplesmente, esteja sendo recalcada e invejosa. (mas, ainda acho que não).
Anyway, 
estou chateada. Apenas isso.
E, ok, vou parar de fazer penico awards com vossos ouvidos...
Vou lá, ser forever alone no shopping... =S
Bom final de semana e que seus amigos sejam melhores que alguns dos meus!

sábado, 2 de junho de 2012

Cry, Baby...*


Essa semana assisti um filme que entrou para a minha lista de ~choráveis - tempo integral~, juntamente  com "Antes de Partir", "P.S. Eu te amo" e "Lado a Lado", para citar alguns.

Um Olhar no Paraíso (The Lovely Bones - 2009)
Diretor: Peter Jackson
Com: Rachel Weisz, Mark Wahlberg, Saoirse Ronan, Stanley Tucci, Susan Sarandon

O filme é baseado no romance de Alice Sebold, "The Lovely Bones/Uma Vida Interrompida" e conta a história de uma adolescente de 14 anos, que após ser brutalmente estuprada e assassinada, assiste, do paraíso/purgatório (?), sua família e seus amigos continuarem suas vidas, além de observar seu assassino planejar um novo assassinato.

"6 de dezembro de 1973. Norristown, Pensilvania, subúrbio da Filadélfia. Susie Salmon (Saoirse Ronan) está voltando para casa quando é abordada por George Harvey (Stanley Tucci), um vizinho que mora sozinho. George a convence a entrar em um retiro, por ele construído. Lá dentro, Susie é assassinada. Os pais de Susie, Jack (Mark Wahlberg) e Abigail (Rachel Weisz), inicialmente se recusam a acreditar na morte da filha, mas precisam aceitar a situação quando seu gorro é encontrado em meio a um milharal, junto a destroços do retiro que estão repletos de sangue. Em meio às investigações, a polícia conversa com George mas não o coloca entre os suspeitos. Com o tempo Jack e Lindsey (Rose McIver), a irmã de Susie, passam a desconfiar de George. Toda esta situação é observada por Susie, que agora está em um local entre o paraíso e o inferno. Lá ela precisa lidar com o sentimento de vingança que nutre em relação a George e a vontade de ajudar sua família a superar o trauma de sua morte." (Fonte: Adoro Cinema)

A menina morta é a narradora e dona de uma franqueza brutal. 
O filme nos deixa (ok, me deixou) tensos, mesmo já sabendo o que vai acontecer. O suspense das cenas que precedem a morte de Susie, o depois, o momento que ela começa a perceber que deve sair do refúgio...
A morte de Susie atua como um divisor da trama, assumindo a partir do episódio, não para menos, um tom rancoroso.
A narrativa vai se abrindo e aos poucos até nos mostrar como a tragédia maior, vai alimentando as tragédias individuais que começam a minar o núcleo familiar. Notamos como o enredo que une/separa as pessoas é frágil e complexo.
Um grande elenco (minha humilde opinião de fã de Susan Sarandon, ad eternum e admiradora de Rachel Weisz desde o 'tititi-ti-ti' - fala em "A Múmia"), com merecido destaque a Stanley Tucci. Saoirse Ronan, a pirralhinha perfeita de Desejo e Reparação, me fez chorar horrores desta vez!
Achei muito interessante e tocante a forma como a morte é apresentada pelo filme, apesar de passar a maior parte dele com dó da menina e tudo o que ela não viveu e do desmoronar da rotina de uma banal e feliz família da década de 70. Ah, também confesso que achei tosquice desnecessária a última cena de Susie e o Mouro. WTF?
Enfim, não achei que seja um filme genial, mas, inteligente, comovente, interessante e instigante. Ah, e, altamente chorável! hehehe

*Postagem original de Sereias Afogadas!!

sexta-feira, 1 de junho de 2012

With A Little Help From My Friends...

O Führer (Beyoncé) vem vindo! *.*
Eu sei, eu sei...
Minha culpa, minha máxima culpa!
Abandonei o Brócolis! um pouquinho, mas, já estou voltando, ok? Don't cry for me, Argentina...
Novidades? Não, não... Continuo na minha eterna busca de realização profissional frustrada...
Anyway...

Semana passada estive assistindo a um musical em que um amigo participava. 
Após meses de ensaio, lá estava ele, destacando-se entre tantos e apresentando seu "Making Musical 4". 
Adorei o medroso-nerd de "Erva Venenosa", mas, quando Hitler entrou apresentando a Primavera a todos nós... *.* ... eu sorria feito criança! =D
Eu sabia que aqueles eram alguns de seus primeiros passos, e, poder participar... Assistir, com nitidez, à alegria dos que dividiam o palco, e, do outro lado, ver a satisfação dos parentes, amigos, amantes de teatro. Enfim, só fato de estar ali...  
Não é orgulho de amiga babona não, quer dizer, também é(!), mas, o garoto ahaza!! ;-)
Enquanto eu estava lá, sentadinha no meu lugar, esperando pelo início fiquei pensando... Como é tão mais fácil ficarmos somente na fase dos sonhos, longe de iniciar um caminho para a conquista e a realização. A gente acaba se envolvendo com as tarefas diárias, ficando inerte, esperando as coisas "caírem do céu" e esquecemos de usar a nossa determinação em prol do que realmente queremos.
Aí, volto a minha poltrona e finalizo: Como é bom ver/conhecer alguém motivado iniciar seus projetos e suas conquistas. Como é bom ver os amigos se realizando naquilo que gostam!
PS: Espero que consiga assistir de novo! rsrsrs

Tietando... *.* (Viviane, Welington, eu e Mariana) PS: fotos usurpadas da Mariana!!

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Correio do Tempo



Terminei de ler essa semana "Correio do Tempo" de Mario Benedetti.
Já me acuso como suspeita, pois, desde que meu bom amigo William me apresentou a ele, cai de amores.
Um livro de contos, linguagem simples, rica em detalhes e um humor sutil que nos acompanha do começo ao fim. Deliciosos momentos de linguagem intimista.
E, entre um relato e outro, poesias! 
Os textos abordam as inquietações da alma: o amor, o desamor, o tempo, a esperança, a morte, a miséria, a solidão, o abandono, lembranças e reencontros. 
Adorei. Devorei. Do começo ao fim. 
Recomendo. 
Um conto aletório. 
Uma poesia.
O livro todo! ;)

Mario Benedetti

Uruguaio. Vendedor, taquígrafo, contador, funcionário público e jornalista.
Em 1973, exílio. Argentina. Cuba. Peru. Espanha.
80 livros: romances, contos, dramaturgia, roteiros para cinema.
Poesia: 33 títulos.
1920 - 2009.
Um dos autores latino-americanos mais conhecidos e lidos da atualidade.


Não está em "Correio do Tempo", e, eu que já postei aqui, mas... *.* 

No te rindas


No te rindas, aun estas a tiempo
de alcanzar y comenzar de nuevo,
aceptar tus sombras, enterrar tus miedos,
liberar el lastre, retomar el vuelo.
No te rindas que la vida es eso,
continuar el viaje,
perseguir tus sueños,
destrabar el tiempo,
correr los escombros y destapar el cielo.
No te rindas, por favor no cedas,
aunque el frio queme,
aunque el miedo muerda,
aunque el sol se esconda y se calle el viento,
aun hay fuego en tu alma,
aun hay vida en tus sueños,
porque la vida es tuya y tuyo tambien el deseo,
porque lo has querido y porque te quiero.
Porque existe el vino y el amor, es cierto,
porque no hay heridas que no cure el tiempo,
abrir las puertas quitar los cerrojos,
abandonar las murallas que te protegieron.
Vivir la vida y aceptar el reto,
recuperar la risa, ensayar el canto,
bajar la guardia y extender las manos,
desplegar las alas e intentar de nuevo,
celebrar la vida y retomar los cielos,
No te rindas por favor no cedas,
aunque el frio queme,
aunque el miedo muerda,
aunque el sol se ponga y se calle el viento,
aun hay fuego en tu alma,
aun hay vida en tus sueños,
porque cada dia es un comienzo,
porque esta es la hora y el mejor momento,
porque no estas sola,
porque yo te quiero.




(Mario Benedetti - autoria contestada =S)