domingo, 27 de dezembro de 2009

Presente para Amigo-Secreto

Estávamos Wolff e eu, na véspera da véspera do Natal, no shopping, procurando pelo presente do meu amigo-secreto. (Toda frase parece uma piada, eu sei, mas aconteceu! Sim, eu fui a um shopping muvucado, sim, era época festiva e, sim, era um presente para o meu amigo-secreto.)

Anyway, isso não é importante. O importante foi o resultado das minhas compras, que acabaram sendo todas para mim e todas DVD's:

- Bonequinha de Luxo (Clássicos não precisam ser justificados!)
- E... o vento levou (C'mon! Scarlett O'Hara! Ah, é um clássico!)
- E se fosse verdade (Helowww? Mark Ruffalo?)
- 27 Dresses (Eu sei, eu sei, filme de menininha, mas fazer o quê? É o Ciclope versão comédia romântica!)
- Pulp Fiction (Tarantino...)
- Quadrilogia X-Men (Vamos combinar... Hugh Jackman está sensacional em Australia, mas que desumanidade é essa em 'X-Men Origins: Wolverine'? Deve haver ao menos mais um no mundo!)
- Rocky Balboa - Ultimate Collection (Influência do meu pai. E se tivesse a quadrilogia de Máquina Mortífera vinha junto!)
- Band of Brothers (Eu sei, eu sei, é coisa de menino... mas e aí?)

Quanto ao presente do amigo-secreto... foi resolvido na véspera do Natal, sem maiores problemas, né, mãe?

sábado, 26 de dezembro de 2009

Fatídico Dia... Argh!

Era mais um daqueles dias falsamente frescos, em que você coloca uma blusa de linha, dá dois passos e morre de calor. Eu, nessa situação, chegando atrasada no trabalho (de novo!), fui guardar meu almoço na cozinha. (bons tempos em que eu fazia apenas 6 horas...)

Desci as escadas rumo ao meu posto, ainda com ipod, que tinha começado a tocar "Like a Prayer". Encontrei subindo-as um colega e o Invasor. Cumprimentei ambos com meu "bom-dia" habitual: de canto de boca e mal pronunciado, como fazem as pessoas que acabaram de acordar e ainda estão contrariadas quanto a isso.

Minutos mais tarde, o Invasor veio até meu posto de trabalho ridicularizar meu "bom-dia chocho". Ele e outro colega fizeram algumas ponderações acerca do assunto, de forma que eu pudesse ouvir, e, concordavam a respeito do tema.

Toca meu celular. Retiro-me a um lugar mais reservado para atender. O Invasor me segue. Espera a ligação acabar e quando me posiciono a frente da garrafa de café preto, enlança-me com um braço, beija-me a face e sussurra ao meu ouvido: Bom dia!

Esquivo-me daquele abraço, não sem pesar, é verdade. E volto ao meu posto, com as pernas bambas, o rosto vermelho e o coração disparado.

[...]

Após sua partida, mantivemos contato por mais um mês, depois, as coisas pararam de acontecer para mim.

O Invasor disse que voltaria, o Invasor disse que me buscaria, o Invasor disse para não duvidar... e, eu, mesmo sabendo que não se tratava da verdade, não duvidei. Ainda não sei por qual motivo, porém, mesmo sabendo que as pessoas mentem, sempre acredito no que me dizem.

Posso tê-lo assustado com meu jeito? Duvido muito...

Só sei que preferia que o Invasor me tivesse dito que tudo era só para aqueles dias (sim, simples assim) ao invés de mentir e deixar-me na expectativa. Ao menos haveria a possibilidade de virarmos amigos.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Voltei!

Sim! tirei o blog do ar...

Mas deu uma dorzinha... de modo que não resisti e... estamos de volta!!

Enjoy!


E... sim, trago ótimas histórias das férias e, de quebra, um coração em recuperação (de antes das férias), mas... Hey, ho! Let's go!

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Autocartografando...

Tem um texto de Affonso Romano de Sant'Anna que em certo momento diz:

"Aos 30 já se aprendeu os limites da ilha, já se sabe de onde sopram os tufões e, como o náufrago que se salva, é hora de se autocartografar."

Ok, ainda não tenho 30, mas a autocartografia virou a ordem do dia...

Não sei pela expectativa da formatura ou pela chegada de um novo vestibular... só sei que já passou da hora de "tomar as rédeas" da minha vida.

É, estou autocartografando, pessoal, autocartografando...

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Para Rafaico

Eita que quando bate a saudade... Saudade que não é educada, não pede licença... Mais de 3 anos já se passaram, e, hoje, a criança mais feliz e iluminada que eu já conheci estaria completando mais um ano... Mais que um amigo, parceiro, irmão... Não tinha como não adorar alguém como você... Eita, saudade dos butiá...

"Meu amor se você for embora
Sabe lá o que será de mim
Passeando pelo mundo a fora
Na cidade que não tem mais fim
Ora dando fora, ora bola
Um irresponsável pobre de mim...

Se eu te peço pra ficar ou não
Meu amor eu lhe juro
Que não quero deixá-lo na mão
E nem, sozinho no escuro
Mas os momentos felizes
Não estão escondidos
Nem no passado
Nem no futuro...

Meu amor não vai haver tristeza
Nada além de fim de tarde a mais
Mas depois as luzes todas acesas
Paraísos artificiais
E se você saísse à francesa
Eu viajaria muito
Mais muito mais..."

(À francesa - Claudio Zoli)

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Curiosidades sobre "Across the Universe"




Estava assistindo o filme pela 29839485ª vez quando resolvi dar uma pesquisada sobre ele:

- Os personagens foram batizados com nomes tirados de músicas dos Beatles, assim como o título original do filme;

– JoJo é uma referência a Jimi Hendrix, enquanto que Sadie é uma referência a Janis Joplin;

– 90% das canções foram gravadas ao vivo nos sets de filmagens, sem qualquer dublagem feita em estúdio durante a pós-produção;

– A cena em que Evan Rachel Wood canta “If I Fell” foi gravada logo em sua 1ª tentativa;

– Durante a canção “With a Little Help From My Friends” pode ser visto um grande poster da atriz Brigitte Bardot. Trata-se de uma referência à conhecida obsessão que John Lennon tinha pela atriz.


http://www.adorocinema.com

domingo, 20 de setembro de 2009

Programa para Perder Medos e Frescuras

Vivemos em constantes mudanças, não? E porque não perder uns medinhos e frescurinhas? A seguir, uma lista das minhas tentativas, e, que venham as mudanças!

Etapa Abóbora: Isso definitivamente não é frescura. Tudo bem que também não gosto de pimentão, salsa e leite, mas, se não tiver opção eu encaro. Agora, abóbora, abobrinha, moranga e afins... tentei, mas, tem jeito não! Continuo achando camarão na moranga o maior desperdício gastronômico do mundo!

Etapa Cachorros de Rua: Frescurinha! Tirando de letra passar ao lado dos milhares de cachorros espalhados pelas ruas de Tubarão!

Etapa Fotos: Frescura! Que história é essa de não ter paciência para esperar o flash ou só aparecer em fotos quando já está “para lá de Bagdá”? Chega disso! Fotos NOW! Estou me policiando para não arranjar nenhuma desculpa... Ah, e também estou providenciando uma câmera nova, já que não tenho idéia de onde está a antiga!! (Dicas sobre câmeras é preciso!)

Etapa Sedentarismo: Frescurinha!! Então, voltei para a academia (o instrutor desconfia que vivo tentando dar migueh!! Pior quando tiver certeza!) e comecei a correr. E é só! Porque esporte de verdade verdade não dá muito certo não.
Exemplo: acompanhei uns amigos (dentre eles meu irmão) num churrasquinho na praia. Lá pelas tantas resolveram jogar rugby e faltava um jogador... Como tenho uma noção das regras, lá fui eu... (só para arremessar, detalhe: coordenação motora péssima!). Tava lá brincando de boa, quando... não tenho a mínima idéia do que aconteceu, só vi o meu irmão se esquivando para não me acertar (tarde demais)... Voei como se tivesse tomado um Haduko!! Que embassada! Pena que não tem filmagem...

Etapa Ondas: Medinho! Pois é, de volta ao mar, encarando as ondas e deixando meu primo/salva-vidas/anjo da guarda louco! Foram dias super divertidos, porém... deu... Já sei que posso voltar se eu quiser! Mas, por ora só jacarezinho na marola!!

Etapa Dinossauros de Parede: Medo e Frescura! Não adianta dizer que lagartixa não faz nada, que limpa a casa e até que é bonitinha. Tenho medo e pronto! O consolo é que estou conseguindo fazê-lo diminuir, muito lentamente é verdade, mas é um começo. Dia desses, até encarei um mini-mini-mini dinossauro de parede, mas isso por que cheguei em casa para lá de estressada, não tinha ninguém para fazer por mim e o réptil era minúsculo!!

Etapa Lar Doce Lar: Medrosa de dar dó! Estou ensaiando essa tem um tempinho... a primeira vez foi de Criciúma, depois de Armazém e agora, de Tubarão. Para onde? Para onde os bons ventos me levarem... Ainda existe um certo temor em sair de perto do litoral, mas se tiver que ser...

Etapa Babies: Pavor? Já o era! Depois que o tisco do Gabriel (um fofurito de 3 aninhos, filho de um primo) apareceu na minha vida... Que delícia ter uma pessoinha que te ama incondicionalmente! Obviamente, não é para agora... mas ainda quero um garotão demolindo toda a minha casa!

Etapa Across the Universe: Um pouquinho de medo... Mas nada que não possa encarar sozinha, não é mesmo? Por isso, já estou com meu roteiro prontinho para novembro (férias!! Iupiiiiiiiii!), sujeito a alterações:
12/11 a 19/11 – Recife: incomodando o Ti!!
19/11 a 22/11 – BSB: turistando, beeeem mUdeRna!
25/11 a 03/12 – Buenos Aires, com uma possível esticadinha a Montevidéu: Hermanos!

Etapa Duas Rodas: Medo demais! Quanto a esta etapa... progresso zero! Aprendi alguma coisa com um tio fissurado em F-1 e motos, mas deu certo não. Só quero pegar uma carona, para perder o medo de vez ou ver que eu tinha razão... Bom, ainda vou ter que pensar em outro meio...

Etapa Bicho Grilo: Super frescura ativar! Esse ano eu VOU acampar! Finito!!

sábado, 19 de setembro de 2009

Tem coisas que só seu namorado faz por você!


Certa feita, estava conversando com um amigo... Eu sem fazer nada, jogando conversa fora e ele colado no computador (msn). Até que vi um pacote de presente na escrivaninha:


- Que tem aqui? - indaguei.
- Uma Magali.
- Para mim? - engraçadinha.
- Para minha namorada.
- Por que uma Magali?
- Porque eu disse a ela que ela parece com Magali: come, come e não engorda!
- Mas a tua namorada é gordinha!


Nesse momento, ele largou o teclado do computador, deu-me aquela olhada de ênfase e repetiu pausadamente:


- Mas eu disse para ela que: ela come, come e não engorda!

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Para matar a saudade do Energia...

Não tem como você falar sobre Energia e não chegar nesse assunto. Todos, TODOS, os alunos sabem e lembram.

Como diz Jerry:

- É a maneira mais fácil de decorar
- É tosca
- É conhecimento para o resto da sua vida
- Você nunca mais vai esquecer
- Você vai passar no vestibular e ainda vai lembrar
- Você vai se formar na faculdade e ainda assim vai lembrar
- E depois, você vai continuar lembrando, mas, não vai ter a mais vaga idéia para que serve...

Verdade! Bom, quem já foi ou é aluno dele, sabe...


segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Prospinha, o time da raça!!

Não sou assídua frequentadora de jogos de futebol, muito menos os de série "A". Salvo nos bons tempos do Criciúma...


Mas, quem nunca foi a um bom clássico de várzea ou de times série "D" não sabe o que está perdendo...


Prosperana desde pequenininha, voltei essa semana aos campos! E, com uma novidade: arquibancada.


Não que o estádio do Próspera só tenha instalado arquibancadas agora, mas é que eu sempre gostei da geralzona.


O estádio do Prospinha tem 4 classes de acomodações para seus torcedores: a arquibancada, a geral (embaixo das asquibancadas), a geralzona (morrinho gramado, com direito a barraquinhas em dias de final) e a boa e velha figueira (muitas vezes lotada! Os caras simplesmente não pagam R$2,00 para entrar no estádio, preferem subir na árvore e assistir o espetáculo de longe.)


Os jogos desses times menores, ao menos para mim, são garantia de diversão...


Afinal, onde, num jogo contra o Navegantes você escutaria:


(time do Navegantes atrasado) - Vai ver o barquinho furou na estrada!


Ou:


(jogador empurrado e caído fora do campo) - Aproveita que tá aí fora e não volta mais, seu... seu... seu... mentruz! Não, ô, laranjinha!!


Ou:


- Time da raça! (e outro) - Raça de ruim!!


Ou, ainda, quando você senta embaixo da cabine das rádios e levantam-se, você e dois amigos, indignados, para xingar algo:


(locutor) - Torcida da casa se revolta no Estádio Mário Balsini.


Ou, quando o locutor fala o nome do jogador errado e seu irmão vira para ele e o corrige:


- Fulano faz falta! - (correção) - Ah, não foi Fulano, foi Ciclano!!


Como você consegue escutar a fala de cada torcedor, se o espetáculo não estiver tão grandioso assim, a indignação da platéia é diversão garantida na certa!




PS: Da próxima vez, levo uma máquina e tiro uma foto da velha e boa figueira!!

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Stayin' alive!

Fomos, eu e o Wolff, dois solteirões convictos de SharkCity, inscrever-mo-nos (aff!) na academia... (ahuhauhuahauahaua, mas é sério! !-( ... )
Decidimos nos despedir da nossa última noite de sedentários em grande estilo: cerveja, comida e shopping! yuppie!!
Acabamos o "shopping tour" na livraria, de onde levei para casa O Pequeno Príncipe, Antologia Poética e Através do Espelho e onde também conheci o Júlio, amigo do Wolff.
Depois, fizemos uma visitinha ao Moe... E veja quem também passou por lá? O menino da livraria, sim!, o Júlio...
Conversa vai, conversa vem... chegamos ao show dos Bee Gees cover (vergonha não ter postado esta noite sensacional aqui ainda!! =P).
Mas isso não é importante. O importante foi esse fato que o Júlio relatou:




'Stayin' Alive' do Bee Gees tem ritmo bom para massagem cardíaca


REUTERS


WASHINGTON - Médicos norte-americanos descobriram que a música "Stayin' Alive", sucesso da banda Bee Gees em 1977, possui o ritmo ideal para a realização de uma massagem cardíaca em uma vítima de ataque do coração.

A associação norte-americana do coração recomenda que as massagens cardíacas sejam feitas em um ritmo de 100 batidas por minuto em massagens cardiopulmonares . "Stayin' Alive" tem quase o mesmo ritmo, 103 batidas por minuto.

A RCP é uma técnica de emergência que envolve compressões o tórax ou respiração boca-a-boca. Ela é utilizada em situações de parada cardíaca, quando os batimentos cardíacos ou a respiração de um indivíduo param.

A RCP pode triplicar as taxas de sobrevivência em situações de emergência, mas muitas pessoas são inseguras sobre sua aplicação pois não sabem o ritmo adequado para as compressões. Pesquisas mostraram que muitos fazem as compressões muito lentamente durante a RCP.

Em um pequeno estudo dirigido pelo Dr. David Matlock da Faculdade de Medicina da Universidade de Illinois em Peoria, a música "Stayin' Alive" ajudou 15 médicos e estudantes de medicina a aplicar massagens cardíacas em bonecos na velocidade adequada.

Depois de cinco semanas praticando a RCP com o auxílio da música, foi pedido que os participantes realizassem a RCP novamente mentalizando a música, e o bom ritmo das compressões foi mantido.

"O tema 'Stayin' Alive' é muito apropriado para a situação", disse Matlock em uma entrevista na quinta-feira. "Todos já ouviram a música pelo menos uma vez na vida. As pessoas conhecem a música e ela pode ser mentalizada."

As descobertas serão apresentadas neste mês durante um encontro da Academia norte-americana de médicos de emergência em Chicago.


http://www.estadao.com.br/noticias/arteelazer,stayin-alive-do-bee-gees-tem-ritmo-bom-para-massagem-cardiaca,261114,0.htm




E tinha nome melhor para esta música? Pois é, colega! Detalhe que o paciente já pode acordar coreografando... Dedinho para cima! Ah, ah, ah, ah...

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Mulher Perfeitinha

(Arnaldo Jabor)

Tenho horror a mulher perfeitinha. Sabe aquele tipo que faz escova toda manhã, tá sempre na moda e é tão sorridente que parece garota-propaganda de processo de clareamento dentário? E, só pra piorar, tem a bunda dura? Pois então, mulheres assim são um porre. Pior: são brochantes. Sou louco? Então tá, mas posso provar a minha tese. Quer ver?

a. Escova toda manhã. A fulana acorda as seis da matina pra deixar o cabelo parecido com o da Patrícia de Sabrit. Perde momentos imprescindíveis de rolamento na cama, encoxamento do namorado, pegação, pra encaixar-se no padrão “Alisabel é que é legal”. Burra.

b. Na moda: estilo pessoal, pra ela, é o que aparece nos anúncios da Elle do mês. Você vê-la de shortinho, camiseta surrada e cabelo preso? JAMAIS! O que indica uma coisa: ela não vai querer ficar “desarrumada” nem enquanto estiver transando. É capaz até de fazer pose em busca do melhor ângulo perante o espelho do quarto. Credo.

c. Sorriso incessante: ela mora na vila do Smurfs? Tá fazendo treinamento pra Hebe? Sou antipática com orgulho - só sorrio para quem provoca meu sorriso. Não gostou? Problema seu. Isso se chama autenticidade, meu caro. Coisa que, pra perfeitinha, não existe. Aliás, ela nem sabe o que a palavra significa, coitada.

d. Bunda dura. As muito gostosas são muito chatas. Pra manter aquele corpão, comem alface e tomam isotônico (isso quando não enfiam o dedo na garganta pra se livrar das 2 calorias que ingeriram), portanto não vão acompanhá-lo nos pasteizinhos nem na porção de bolinho de arroz do sabadão. Bebida dá barriga e ela tem HORROR a qualquer carninha saindo da calça de cintura tão baixa que o cós acaba onde começa a pornografia: nada de tomar um bom vinho com você. Cerveja? Esquece! Melhor convidar o Jorjão.

Pois é, ela é um tesão. Mas não curte sexo porque desglamouriza, se veste feito um manequim de vitrine do Iguatemi, acha inadmissível você apalpar a bunda dela em público, nunca toma porre e só sabe contar até quinze, que é até onde chega a seqüência de bíceps e tríceps. Que beleza de mulher. E você reparou naquela bunda? Meu Deus…

Legal mesmo é mulher de verdade. E daí se ela tem celulite? O senso de humor compensa. Pode ter uns quilinhos a mais, mas é uma ótima companheira de bebedeira. Pode até ser meio mal educada quando você larga a cueca no meio da sala, mas adora sexo. Porque celulite, gordurinhas e desorganização têm solução (e, às vezes, nem chegam a ser um problema). Mas ainda não criaram um remédio pra futilidade. Nem prá dela, nem prá sua!!!

sábado, 15 de agosto de 2009

O que tiver que ser, será!?!?!

Estava eu aqui... pensando... como se não tivesse mais um zilhão de coisas para fazer.

Ultimamente, há uma frase que ando escutando muito ou que é dita com a mesma regularidade de sempre mas que por algum motivo vem chamando minha atenção: "O que tiver que ser, será."

Será mesmo?

Confesso que muitas vezes já a usei, principalmente para justificar algo a mim mesma. Mas, hoje, pensando bem, eu simplesmente não acredito.

Não passa de um conformismo popular. No mesmo estilo: "É assim porque Deus quis." Quis mesmo? Ou você que não teve coragem suficiente para lutar?

A frase em questão envolve todo o misticismo do destino. Mas, o que é destino? Ele existe? Então não adianta me debater que tudo já está determinado? Todas as pessoas que conheço já me eram designadas, independente de minhas escolhas?

Prefiro acreditar que não. Que esse tal de destino até pode nos impor algumas situações. Mas que o futuro depende de nosso livre-arbítrio.

Afinal, se você ficar de braços cruzados ao invés de dar uma forcinha, não lutar, não correr atrás, é provável que o "será" nunca saia do tempo futuro. E, se sair, vai ser tão "de graça" que logo perderá o encanto.

É isso. Até posso acreditar nesse tal fator denominado destino. Mas acredito ainda mais na vontade das partes.

domingo, 28 de junho de 2009

Menção Honrosa

Passado o sufoco, o estresse, não podia deixar de fazer uma rasgaçãozinha de seda aqui... depois desse semestre tão atribulado, um agradecimento aos que se mostraram mais que amigos...


Aos meus três mosqueteiros: Rafael (Migueh), Fernando e Rafael... E a todas as horas de risada contagiante, de conversas, missas (e os dias de libertação) que me transportavam para longe da monografia...


Ao meu grande amigo William, que perdeu horas me animando e tranquilizando, lendo e corrigindo meus trabalhos e que, ainda não bastasse, me apresentou Mário Benedetti (o qual me deixou encantada desde a primeira leitura)...


As meninas da facul: Ivia, Júlia e Morgana, que apareceram do nada... Que seguravam a barra nas aulas, que estiveram cronometrando meu tempo na apresentação, que me cobriram no estágio e que bebemoraram comigo várias e várias vezes e a vários motivos...

E, ao meu irmão da vida toda: Tiago, o Ti... Onze anos de amizade ininterrupta, de socorros, emergências, de alegria, ao meu lado em todos os momentos mesmo que via torpedo ou twitter, a palavra certa (e nem sempre a esperada) na hora certa... E que frente ao meu desespero em vista da proximidade da apresentação, ainda conseguiu me deixar com um sorriso "de orelha a orelha":





Sinto-me tão lisonjeada de tê-los presente em minha vida nessa fase que se encerra... Obrigada!!

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Primeiro Dia dos Namorados só meu!

Não, não, eu não namorei a vida inteira. Mas, após quase 9 anos de namoro... e com a minha idade... é quase como se fosse meu primeiro dia dos namorados solteira! Na idade "adulta" (como se eu realmente fosse hehehe) é mesmo...

Foi um bom dia, sem as pressões que o comércio exercem sobre a gente!! Não que namorar não seja tudo de bom, mas estou passando por uma fase ótima, me conhecendo melhor, sendo 'mais' independente, aprendendo meus limites e quando posso ou não deixar de ser uma 'macha de respeito'...

Então, já que não sai do trabalho a tempo de ir para Criciúma ganhar um colinho de papai e mamãe, dei uma geral nas coisas pendentes. Podia ter saído, mas a quarta/quinta-feira deixara vestígios... (essa fica para depois!)

Descobri que a noite do dia doze de junho é ótima para: ir ao mercado, ir à papelaria e colocar todos aqueles xerox e encadernações em dia e ir à biblioteca!

Entre a papelaria e a biblioteca, senti-me tentada a parar na locadora. Pensamento: "Uma comédia romântica, esse friozinho, pipoca, quem sabe até um vinho!" Cinco segundos depois: "Uma pessoa levemente alcoolizada (ou não, dependendo do sucesso ao abrir a garrafa de vinho - quase sempre negativo), sozinha, depressiva e chorando horrores (é, não posso assistir filme sozinha)".

Resolvi, por maioria de votos, devolver os livros que peguei para a monografia e pegar outros para a prova de estágio, segunda de manhã, argh! Foi quando decidi que se não assistiria a um filmezinho água com açúcar, podia ao menos ler um!

Dois minutos depois, já havia desistido da idéia, os títulos não estavam me agradando... muitas princesas... nada com um mexicanismo decente! Pensei em voltar para casa de mãos abanando e reler pela enésima vez a Bridget ou Elisabeth, quando lembrei de um clássico que queria ler havia tempo.

Dirigi-me ao computador de pesquisas com a certeza de que o título não existiria na Unisul, digitei "vento levou": um resultado. "Pedra branca", pensei. Baixei a tela e surpresa! vi que estava enganada, sim, era Tubarão, e, sim, estava ali disponível para leitura!

Bom, enquanto Mark Darcy e/ou Kevin Doyle não aparecem, Scarlet me faz companhia...

sábado, 23 de maio de 2009

O Meu Favorito no Mundo!

Pneumotórax


Febre, hemoptise, dispnéia e suores noturnos.
A vida inteira que podia ter sido e que não foi.
Tosse, tosse, tosse.


Mandou chamar o médico:
— Diga trinta e três.
— Trinta e três . . . trinta e três . . . trinta e três . . .
— Respire.


....................................................................................

— O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado.
— Então, doutor, não é possível tentar o pneumotórax?
— Não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino.

(Manuel Bandeira)

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Menininhas...

As meninas voltaram!

Toda quarta-feira no Programa do Jô!!

Sorry, eu gosto!




PS: desculpem a ausência, monografia em andamento!

quinta-feira, 19 de março de 2009

Conto em Letras Garrafais

Todos os dias esvaziava
uma garrafa, colocava
dentro sua mensagem, e a
entregava ao mar.
Nunca recebeu resposta.
Mas tornou-se alcoólatra.

Marina Colasanti

[do livro "Contos de amor rasgados", Rio de Janeiro, Rocco, 1996]

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

E Viva o Suco de Butiá!!

A descoberta do verão!

O butiá nosso velho companheiro de cachaça agora em formato suco!

Voltávamos de Floripa com a missão de comprar butiá para fazer uma nova remessa de cachacinha...

Paramos num dos vendedores da BR-101 e, além dos pacotes da fruta in natura, pedimos uma garrafa d'água... foi quando ele nos foi apresentado... ele, o suco de butiá!

Suco de butiá?

Eu recomendo!

Ainda mais se fizer uma caipirinha!

Pergunta: Será que os vendedores de beira de BR tem master juice?

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Para falar de Maysa...

MAISA

Um dia pensei um poema para Maísa
"Maísa não é isso
Maísa não é aquilo
Como é então que Maísa me comove me sacode me buleversa me hipnotiza?



Muito simplesmente
Maísa não é isso mas Maísa tem aquilo
Maísa não é aquilo mas Maísa tem isto
Os olhos de Maísa são dois não sei quê dois não sei como diga dois Oceanos Não-Pacíficos



A boca de Maísa é isto isso e aquilo
Quem fala mais em Maísa a boca ou os olhos?
Os olhos e a boca de Maísa se entendem os olhos dizem uma coisa e a boca de Maísa se condói se contrai se contorce como a ostra viva em que se pingou uma gota de limão.
A boca de Maísa escanteia e os olhos de Maísa ficam sérios meu Deus como os olhos de Maísa podem ser sérios e como a boca de Maísa pode ser amarga!
Boca da noite (mas de repente alvorece num sorriso infantil inefável)"
Cacei imagens delirantes
Maísa podia não gostar
Cassei o poema.



Maísa reapareceu depois de longa ausência
Maísa emagreceu
Está melhor assim?
Nem melhor nem pior
Maísa não é um corpo
Maísa são dois olhos e uma boca
Essa é a Maísa da televisão
A Maísa que canta
A outra eu não conheço não
Não conheço de todo
Mas mando um beijo para ela.



Manuel Bandeira, Estrela da Tarde

Alguém explica?

Em Criciúma, na última semana, o acontecimento que reuniu a "high society" criciumense foi o tal do costelaço. Eu - como não membro da nata criciumense e não admiradora de costela - não participei do evento, que segundo as informações do site, pareceu-me bem organizado.


Entretanto, algo no outdoor me chamou a atenção, nada mais, nada menos que o slogan da festa:



"Só não vai quem coleciona borboleta seca."


Afinal, que que isso significa?


a) Todos vão participar, afinal, ninguém coleciona borboleta seca.

b) Quem não participar é colecionador de borboleta seca.

c) Os colecionadores de inseto em hipótese alguma podem participar.

d) Trata-se de uma expressão com conotação sexual e que não é de conhecimento público.

e) É uma nova brincadeirinha/piadinha da nata criciumense, que estão tentando fazer virar gíria nacional.

Informações:
As divulgadoras foram denominadas 'Borbolets'.

Dúvida:
Se eu ganhei/comprei um exemplar deste inseto empalhado, automaticamente, estou descartada da festa?

Se alguém tiver um palpite...

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Que tipo de Bridget você é?

Bridget Jones... Quem não ouviu ao menos uma menção ao seu nome?

Uma personagem caricata que através das mãos (e pensamentos) de Helen Fielding abriu espaço para um filão de livros: o da heroína romântica e estabanada... isto é, a Cinderela mordena, que continua em busca do príncipe encantado, e, com final feliz de sempre!

Atrás do sucesso de Helen Fielding, vieram inúmeras outras escritoras e a explosão do “chick lit”, o estilo literário que tem por mérito explorar com muito humor as inquietações das mulheres em relação à carreira, auto-imagem, relacionamentos e auto-estima, gerando identificação imediata e fazendo as leitoras rirem de si mesmas.

Voltando a Bridget...

É uma personagem que cativa por ser normal. A confusa, ansiosa e graciosamente neurótica Bridget é um patrimônio britânico por excelência, dos hábitos prejudiciais à saúde (como o de asfixiar as mágoas com doses cavalares de tabaco) ao senso de humor debochado – cuja vítima mais freqüente é ela mesma.

Bridget é uma mulher de 30 anos, solteira, que trabalha e reside em Londres e gosta de se divertir em pubs, bares e restaurantes. Ela faz confidências aos seus amigos, mantém um diário, está sempre de olho no seu peso flutuante, às voltas com dietas adiadas e anotando as calorias do dia. Ela também é insegura em relação ao que o futuro lhe reserva.

Não é gorda, mas adoraria ser mais magra. Da sua lista de resoluções consta parar de fumar, de beber, de não esquecer de lavar a roupa suja e nem perder tempo vendo novelas ou tentando adivinhar onde largou as chaves de casa.

Atire a primeira pedra quem nunca suspirou lendo/assistindo uma passagem de sua vida! Ou quem nunca esteve no seu lugar!

Afinal, quem nunca acreditou num sapo encantado ou brigou com a balança e fez as pazes comemorando com chocolate? E aqueles papos que só se têm com a melhor amiga? E os pensamentos que mal se admitem pra si mesma? Quem nunca ficou horas olhando para o telefone rezando para ele tocar? Ou se dividiu entre fazer uma poupança ou ceder à tentação de usar o limite do cartão numa terapia de shopping? Quem nunca leu algo na área da auto-ajuda, mesmo que para criticar ou dar uma boa risada?

Sem falar em momentos mágicos como conseguir entrar de novo naquele jeans velho, receber uma promoção no trabalho ou, ainda, linda e poderosa, encontrar com o ex na balada.

Bridget tem ainda o dom da gafe: sabe escolher como ninguém a hora errada de dizer a coisa errada, em suma, é um modelo de desorganização e o alvo perfeito para guias de auto-ajuda na linha de Homens São de Marte, Mulheres São de Vênus.



Sim, eu li os livros, e sim, eu assisti aos filmes... mas o responsável por esse falatório todo esta brincadeira:

http://br.geocities.com/bridgetjonescleaver/

Divirta-se e veja que tipo de Bridget você é!